Sinais e sintomas de Meningite

Atualizado: Abr 26


Sintomas de meningite

Meningite é uma emergência médica causada pela inflamação das membranas que revestem a medula espinhal e o cérebro e possui diversas possíveis causas como bactérias, vírus, fungos, protozoários e até mesmo meios não-infecciosos, como câncer e lúpus.


Anualmente temos no mundo:

> 2.500.000 de casos; > 230.000 morte causadas por meningite; > 500.000 pessoas com sequelas permanentes causadas pela doença.


Dentre as diversas causas de meningite, a principal e mais preocupante de todas é a originada pela bactéria meningococo. A Doença Meningoccócica costuma ser altamente letal e apresenta-se na forma de inflamação das membranas que revestem o cérebro ou através da temida menincococcemia, quando uma grave infecção generalizada ocorre. Em sobreviventes são comuns sequelas como surdez, perda de órgãos e até mesmo amputações. Estima-se que 1/5 deles tenham sequelas permanentes.


Conheça os principais sinais e sintomas:

  • Febre;

  • Rigidez e/ou dor na nuca;

  • Dor de cabeça intensa;

  • Mal estar;

  • Náuseas e vômitos;

  • Confusão mental;

  • Sensibilidade à luz;

  • Dores intensas nos músculos e/ou articulações;

  • Manchas vermelhas ou roxas na pele;

  • Respiração rápida;

  • Calafrios;

  • Extremidades frias e pálidas.


Em bebês, podem também ocorrer outras alterações como:

  • Choro constante;

  • Irritabilidade intensa;

  • Olhar vago;

  • Dificuldade para acordar;

  • Pele pálida ou manchada;

  • Perda súbita de apetite;

  • "Moleira" elevada;

  • Retração do pescoço.


Busque atendimento médico imediato em caso de sinais ou sintomas suspeitos. Meningite pode matar em 24 a 48 horas.


Embora seja uma doença extremamente grave, pode ser evitada por vacinas.

Felizmente hoje temos vacinas contra 5 dos 6 tipos mais frequentes e graves de meningococos. Porém algumas não estão disponíveis ainda pelo SUS.

Crianças menores de 2 anos e adolescentes são os grupos mais acometidos. Converse com o seu pediatra e faça todas as vacinas possíveis.

Para mais informações sobre vacinas, visite https://www.adilsonceron.med.br/calendário-de-vacinação